Close
Quero conhecer
Quero conhecer
22/06/2020 16:27:00 5 min leitura

Banking as a service e a nova forma de consumo de serviços financeiros

Nos últimos anos, a disrupção em determinados mercados foi bastante visível aos olhos do consumidor. O Uber nos fez questionar a real necessidade de termos um carro; com Whatsapp, alteramos as relações de comunicação e esquecemos de uma vez por todas o telefone fixo; até a forma com a qual “consumimos” nossa própria casa foi colocada em xeque pelo Airbnb. A ruptura nas nossas relações com bens e serviços vira uma constante e não demora para chegar a um dos mercados mais tradicionais do mundo: nós realmente precisamos dos bancos?

O surgimento de fintechs e neobanks foram os primeiros movimentos de rompimento para o segmento, aumentando visivelmente as possibilidades de ofertas de produtos financeiros como crédito, seguro, investimentos e, claro, soluções de pagamento a preços muito menores e através de um processo de contratação muito mais ágil e simplificado. Este primeiro movimento deu origem a famosa batalha Fintech vs Bancos. Bancos tradicionais considerados ineficientes em termos de inovação e experiência versus a percepção da falta de segurança de dados e até de liquidez dos novos entrantes separou o mercado em dois extremos.

Acalmados os ânimos e sem expectativas de um único lado vencedor, nasce o que consideramos ser um segundo movimento: BAAS — o banking as a service, que é o meio que permite a terceiros se integrarem com as plataformas de banco ou qualquer agente regulado, através de APIs, podendo construir suas próprias experiências a partir dessa infraestrutura. Este processo transforma o paradigma das “Fintechs vs Bancos” em “Fintechs com Bancos”, gerando um ambiente totalmente colaborativo em que cada parte faz o que sabe de melhor: fintechs ficam com a experiência, enquanto a instituição regulada e provedora da tecnologia cuida do relacionamento com o Banco Central, liquidez e da tecnologia, oferecendo uma estrutura robusta e mitigando riscos no sistema.

O BAAS acaba abrindo horizontes não apenas para as fintechs que querem aumentar seu portfólio, mas também para qualquer player apto a se conectar a estes provedores por meio de APIs. Um grande varejista, por exemplo, o qual já tem uma base de clientes fiel que confia em seus serviços, pode simplesmente criar um wallet dentro do seu aplicativo, para que tanto seus funcionários quanto compradores possam dali tomar crédito, pagar uma conta ou até contratar um seguro de vida.

Aí que está a verdadeira long tail do mercado bancário e início de um mundo Open Banking, onde há a possibilidade de fato de enxergarmos a descentralização dos serviços financeiros através da oferta de múltiplos players de nicho, atendendo a demandas e audiências bastante específicas.

O Bankly nasce com este propósito! Parte de uma Instituição de Pagamentos sólida, a Acesso Pagamentos, com cerca de 7 anos de operação, o Bankly é a primeira solução completa de Banking as a Service do Brasil. A plataforma modular, desenvolvida em APIs-Rest e 100% na nuvem, permite que nossos parceiros possas realizar integrações on demand, testando os serviços de acordo com o engajamento da sua base.

 

Sobre o Bankly

Somos uma plataforma de tecnologia financeira oferecendo produtos de Banking as a Service e open banking. Fazemos parte da Acesso Soluções de Pagamentos, empresa brasileira líder em tecnologia bancária e serviços financeiros, emissão, processamento e gestão de cartões e contas digitais. Nosso DNA é baseado em dois pilares: segurança e confiança. Utilizamos métodos seguros para garantir a privacidade de qualquer dado ou informação que seja compartilhada conosco, agimos com transparência gerando confiança a nossos parceiros.

Saiba mais através de nosso site: bankly.com.br/